Siza Vieira: é fundamental criar mais habitação social no país

O arquiteto Álvaro Siza Vieira defendeu em Veneza a necessidade de criar mais habitação social em Portugal «para as famílias que não conseguem ter acesso a casas».

«A habitação é um direito inscrito na Constituição Portuguesa», sustentou, numa entrevista à agência Lusa a propósito da exposição «No Place Like — 4 houses 4 films».

Nesta mostra da representação oficial de Portugal na 12.ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, que hoje inaugura ao público, foi incluído o projeto do bairro social da Bouça, no Porto, assinado por Siza Vieira.

O projeto foi iniciado nos anos 1970, teve três fases, e só viria a ser concluído 30 anos mais tarde, por várias razões, entre elas o contexto político do país.

Os outros três projetos incluídos pelo comissariado na exposição são casas unifamiliares assinadas pelos arquitetos Aires Mateus, Carrilho da Graça e Bak Gordon.

Passadas várias décadas, Siza Vieira considera que continua a fazer sentido criar programas de habitação social no país, no seu entender “indispensáveis”.

“O ideal seria que todas as famílias tivessem oportunidade para ter casa, mas quando isso não acontece, é fundamental existir habitação social”, defendeu, alertando que essa carência leva ao surgimento de muita habitação clandestina.

Quanto à particularidade da história do Bairro da Bouça, cuja conclusão foi difícil e demorada, observou que “deixou de ser original”.

“Atualmente há uma grande pressão para os arquitetos terminarem depressa os projetos, mas depois a construção demora muito tempo. Já é normal levar 10 e mais anos a estar concluída”, comentou o arquiteto nascido em Matosinhos em 1933.

Siza Vieira é o mais conceituado e premiado arquiteto português e o único a ter conquistado o Prémio Pritzker (1992) e o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza (2002).

Sobre o tema geral da exposição internacional de arquitetura da Bienal de Veneza – “People meet in Arquitecture” (As Pessoas encontram-se na Arquitetura” – considerou-o “muito justo”.

Fonte – Diário Digital

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 1. Imprensa, Blogosfera e Web, 3. Política e Cidadania. ligação permanente.

Uma resposta a Siza Vieira: é fundamental criar mais habitação social no país

  1. António de Borja Araújo diz:

    Salvo o devido respeito pelo Ilustre Arquitecto, não é necessário construir-se mais habitação social no País. O que é necessário é reabilitar-se o parque edificado existente e legislar-se de forma a que seja mais atractivo reabilitar e colocar no mercado a habitação existente do que tê-la devoluta à espera de hipotéticas mais-valias fabulosas.

    E é necessário rigor na atribuição e gestão do parque habitacional social. É inaceitável que uma parte da população suporte com os seus impostos grupos de indivíduos que se comportam como marginais à sociedade, degradando as tais habitações sociais que lhes são atribuídas, sem cumprirem com o dever mínimo de pagarem impostos ou as modestíssimas rendas a que estão obrigados, apesar de ostentarem evidentes sinais exteriores de riqueza, isto para além de serem origem de frequentes e, por vezes, sangrentas perturbações à ordem pública nos bairros onde vivem.

    Quem vive em socieade tem o dever básico de solidariedade para com os desfavorecidos, mas tem o direito de não ser vítima de oportunistas e delinquentes, bem como dos delírios ideológicos e da incompetência daqueles a quem compete a administração da coisa pública.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s