Estudantes de Marketing apresentam ideias para rentabilizar estádio de Aveiro

Transformar o Estádio Municipal de Aveiro num casino ou num espaço cultural de referência regional são algumas das ideias dos alunos do Instituto Português de Administração de Marketing (IPAM) de Aveiro para rentabilizar este equipamento desportivo,que ontem foram apresentadas.

A iniciativa surgiu em resposta a um desafio lançado pela empresa municipal EMA – Estádio Municipal de Aveiro, no sentido de encontrar propostas para tornar rentável esta estrutura, cuja viabilidade tem sido muito discutida, tendo em conta os elevados encargos com a sua manutenção e conservação.

No total, são 22 as propostas que envolveram mais de 60 alunos do segundo ano do curso superior de Gestão de Marketing do IPAM Aveiro ao longo dos últimos seis meses.

Entre as propostas desenvolvidas estão ainda a atribuição de um nome ao estádio, a criação de um museu dedicado ao futebol ou a instalação de um relvado amovível para possibilitar a utilização desta estrutura para outros eventos.

«São muitas ideias. Vamos tentar aproveitar algumas», disse à agência Lusa o presidente do Conselho de Administração da EMA, Pedro Ferreira, que recebeu um DVD com todas as propostas.

Pedro Ferreira, que é também vereador na Câmara de Aveiro, adiantou que a autarquia tem vindo a trabalhar para resolver este problema, prometendo, para breve, «dar nota de algumas coisas que já foram feitas e outras que estão em mente».

O responsável pela EMA revelou ainda que espera conseguir equilibrar já este ano as contas da empresa, devido a «algumas mudanças que foram tomadas em termos de direcção».

«Se tudo correr bem, vamos ter contas equilibradas este ano, pela primeira vez», afirmou.

Pedro Ferreira voltou a defender a extinção da EMA e a entrega da gestão do estádio ao Beira-Mar, o clube residente, justificando que, em Portugal, «os estádios que têm tido maior sucesso são aqueles que estão na gestão dos clubes».

No entanto, o vereador admite que o clube aveirense, na primeira liga, não tem actualmente condições para assumir essa gestão, «fruto dos condicionalismos que está a passar».

«No futuro, no sentido em que estamos a ver o estádio a caminhar para uma sustentabilidade financeira, penso que o Beira-Mar poderá perceber que pode ser uma mais-valia para eles gerir o estádio», concluiu.

Orçado em cerca de 62 milhões de euros, o Estádio Municipal de Aveiro foi construído propositadamente para o Euro2004 e tem sido gerido pela EMA, uma empresa municipal criada pela Câmara para administrar o espaço, que se tem revelado uma fonte de prejuízos.

Só em 2008, segundo as contas da EMA, o equipamento registou um prejuízo de cerca de 750 mil euros, sendo que os custos com a exploração/manutenção rondam os 50 mil euros por mês.

Fonte – Jornal Sol

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 1. Imprensa, Blogosfera e Web, 8. Arquitectura e Engenharia com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s