Pólis dos Pequenitos

Portugal dos Pequenitos, Coimbra

O suplemento “Cidades” do PÚBLICO de hoje é um óptimo documento sobre o «Programa Pólis». Simpaticamente apelidam o dito programa de analgésico. Creio, no entanto, que nem isso chega a ser porque nada teve a ver a com cidades e muito menos com os problemas das cidades. Tratou-se de uma tentativa de replicar o modelo “Expo98” e de tornar a paisagem urbana portuguesa mais gentil ao olhar do turista e das elites. Num tique neo-pombalino distribuiu-se projectos e obras por alguns – muito poucos – e levou-se a cabo a obra civilizadora: palmeiras, relvados e pistas de jogging. Tudo muito agradável e suave ao toque. Neste cenário “moderno” desenhado a partir de Lisboa não há lugar para o ruído visual que comprometa o postal e o edifício de 13 andares de Viana do Castelo tem de ser sacrificado. Na disneylândia não há espaço para a realidade. Já o Estado Novo tinha realizado uma purga purificadora da paisagem patrimonial portuguesa em nome de uma portugalidade imaginada a partir do Terreiro do Paço, um Portugal dos Pequenitos à escala real. Hoje a letra é outra, mas a cantiga é a mesma.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 1. Imprensa, Blogosfera e Web, 7. Cultura Urbana com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s