Parecer da Cultura permitirá avançar com candidatura das obras na Casa dos Patudos ao QREN

cm_patudos_ext

A Câmara de Alpiarça obteve garantias de que é positivo o parecer do Ministério da Cultura sobre as obras em curso na Casa dos Patudos, permitindo avançar com a candidatura ao QREN.

Mário Pereira, presidente da Câmara Municipal de Alpiarça, disse à agência Lusa que foi positiva a reunião realizada na segunda feira com o secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle, que garantiu estar em análise a inclusão da Casa-Museu dos Patudos na Rede Portuguesa de Museus.

O parecer positivo do Ministério da Cultura sobre as obras de requalificação da Casa dos Patudos é essencial para completar o processo de candidatura ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN) e posterior submissão ao visto do Tribunal de Contas.

Só com este visto a autarquia pode pagar à empresa que iniciou as obras no verão de 2009 nas partes não visitáveis do edifí­cio, trabalhos cujo ritmo teve de abrandar, adiantou.

A Casa-Museu dos Patudos, legada ao município pelo líder republicano José Relvas, está instalada numa obra de referência do arquiteto Raul Lino e alberga uma das mais importantes colecções particulares de arte a nível nacional.

As obras decorrem em duas fases, orçadas em 2,55 milhões de euros, 800 mil dos quais suportados pela autarquia que precisa de recorrer a financiamento.

As obras preveem uma “intervenção global a todos os níveis” para recuperar as áreas degradadas, abrir novas zonas expositivas, devolver os “circuitos tradicionais da casa” e criar um Centro de Documentação e Investigação.

A intervenção envolve ainda a criação de condições de acessibilidade para pessoas de mobilidade limitada, de uma recepção e de uma loja para obtenção de receitas.

A criação de uma sala de reservas permitirá a circulação das peças, acabando com a situação actual em que “materiais de extrema fragilidade”, como as tapeçarias, os desenhos e as aguarelas, estão expostos há 50 anos às mesmas condições de luz e oscilações de temperatura, sob risco de “danos irreversíveis”.

Um dos objetivos da autarquia, num processo iniciado pelo executivo anterior, é conseguir a integração na Rede Portuguesa de Museus, o que Mário Pereira disse à Lusa ter “grande probabilidade” de se concretizar.

Contudo, essa integração não tem implícito um maior apoio financeiro, mas sim um reforço na promoção e no apoio técnico, frisou.

Em estudo está actualmente o modelo de gestão da Casa-Museu, na sequência da assinatura de um protocolo com o Instituto Politécnico de Leiria que permitiu que o seu docente da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, o historiador João Bonifácio Serra, ficasse como coordenador da Casa, adiantou.

Fonte – Jornal Construir

Advertisements
Esta entrada foi publicada em 1. Imprensa, Blogosfera e Web, 12. Reabilitação Urbana com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s