Coimbra e Lisboa são fundadores da Rede de Cidades Romanas do Atlântico

Os municípios portugueses de Coimbra e Lisboa são fundadores da Rede de Cidades Romanas do Atlântico que deverá ser constituída no próximo dia 21, em Madrid, Espanha, e que abarcará ainda parceiros de vários países.

A Rede de Cidades Romanas do Atlântico permitirá começar a dar a conhecer o mundo romano a partir de uma perspectiva muito inovadora, os assentamentos ao longo do Atlântico, contribuindo para um melhor posicionamento turístico das cidades, declarou uma fonte da Câmara de Coimbra.

Será uma rede de municípios, que na sua área de influência mobilizará os parceiros que possam contribuir para dinamizar os recursos existentes, actividades culturais e criar produtos e acções turísticas diferenciadas.

No caso de Coimbra, é intenção, entre outras entidades, envolver a Universidade e o Museu Nacional de Machado de Castro, que tem dinamizado uma forte investigação e por ser ele um também um espaço de exibição do período romano, por se implantar sobre as estruturas visíveis do antigo Fórum da Aeminium, declarou Raquel Santos, que tem representado a Câmara Municipal nas reuniões preparatórias.

Coimbra e Lisboa foram as representantes portuguesas numa reunião que a 14 e 15 de Julho de 2009, por iniciativa da câmara municipal de Irun, juntou no Museo de la Romanización Oiasso, Espanha, as localidades do país anfitrião de Gijon, Sevilha, Pontevedra, Tarragona, Cartagena e Calahorra, bem como as francesas de Dax e Perigneux.

Nesta reunião de Irun foi decidido fundar a rede e estender o convite a outras cidades, uma constituição que agora deverá ser formalizada durante a Feira Internacional de Turismo de Madrid, a Fitur, a 21.

A criação de uma imagem corporativa para promoção turística conjunta a partir da perspectiva da sua identidade romana, a colaboração e o intercâmbio de acções entre os gestores do património romano das cidades, o fomento da investigação histórica entre as cidades participantes e a realização de conferências, exposições, congressos e cursos são algumas das acções previstas.

No âmbito da rede serão sensibilizadas as populações locais para ajudar à valorização dos recursos turísticos romanos, estimuladas actividades que ampliem a oferta histórica, cultural e gastronómica de acordo com as particularidades de cada cidade, e potenciada a configuração de uma rede europeia de cidades romanas.

Além das cidades fundadoras que participaram na reunião de Irun, já manifestaram interesse em integrar a Rede das Cidades Romanas do Atlântico, Saragoça (Espanha), Bayonne, Boulogne sur Mer, Vienne (França), Faro, Santarém (Portugal) e York (Inglaterra).

Segundo Raquel Santos, entre as portuguesas era importante que figurassem na rede as de Mértola e Braga e encontrar também uma forma de integrar a antiga cidade romana de Conímbriga, que administrativamente integra o município de Condeixa-a-Nova.

Fonte – Diário de Coimbra

A Cidade de Faro também já foi convidada para integrar esta Rede. Vejam a notícia aqui.

Advertisements
Esta entrada foi publicada em 1. Imprensa, Blogosfera e Web, 4. Património e Centros Históricos com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s