Entretanto, em Coimbra…

Demolições na Baixa atrasadas meio ano

As maiores expectativas apontavam o final deste ano e o iní­cio do próximo para o regresso (com vista à conclusão) das demolições na Baixa de Coimbra. Afinal, as máquinas terão de ficar paradas, pelo menos, mais seis meses, lamenta Álvaro Maia Seco que em Junho, numa entrevista ao Diário de Coimbra, estava confiante de que seria possível, ainda durante este mês de Dezembro, retomar os trabalhos de abertura do futuro canal do eléctrico rápido no centro histórico da cidade.

«O processo de aprovação administrativa das demolições é bastante mais complexo do que esperávamos que fosse», admite o presidente do Conselho de Administração da Metro Mondego. «O atraso vem da forma como a regulamentação funciona nestes casos. São tantas as exigências, que depois as coisas não andam», continua o responsável.

Recorde-se que um projecto como o das demolições na Baixa da Coimbra envolve, para além da Metro Mondego, a aprovação de vários projectos por várias entidades (Câmara Municipal de Coimbra/SRU, IGESPAR, Direcção Regional da Cultura, para além da Agência Portuguesa do Ambiente) o que, só por si, já complica o avanço de todo o processo.

Depois, e neste caso, houve ainda o facto de ter sido encontrado um elemento arquitectónico no edifí­cio do restaurante Democrática – uma lógia (espécie de varandim) medieval – o que, de acordo com Álvaro Maia Seco, «obrigou à realização de três projectos» para adaptar este vestígio ao projecto do edifí­cio.

«Vale a pena o esforço para trazer à luz um vestígio medieval perdido que vai, certamente, valorizar a zona da baixinha e a nova praça que ali aparecerá. Mas este esforço implica também dinheiro e tempo», adianta o responsável, que, como adianta, «por muito que queira que as demolições avancem», não pode «fazer milagres».

Calendário mais preciso lá para Março

De qualquer forma e, apesar de ser certo que as demolições na Baixa estarão paradas, pelo menos, até meio de 2010, Álvaro Maia Seco acredita que no iní­cio (durante o primeiro trimestre) deste ano, tanto o projecto que engloba este vestígio medieval, como todos os outros que envolvem o canal de passagem do metro naquela zona da cidade, estarão aprovados e, portanto, a Metro Mondego estará em condições para lançar o concurso para as demolições.

«Seja como for, o deslizamento será sempre de meio ano», confirma o responsável, fazendo questão de sublinhar que, depois de ultrapassada esta fase mais complicada e burocrática o projecto tem tudo para avançar «sem grandes entraves». «Ao contrário do que tem acontecido, depois, já não serão muitas as coisas que poderão dificultar o processo», garante.

Estão aceites por todas as entidades reguladoras os projectos de arquitectura – só o edifí­cio da Farmácia Central teve três projectos desenvolvidos –, assim como a solução urbanística desenhada para o canal. Estão praticamente concluídos os estudos de arqueologia e de subsolo. Está, portanto, tudo encaminhado para que, uma vez reiniciadas as demolições, não existam razões para grandes interrupções, afiança o presidente da Metro Mondego e vereador socialista na Câmara Municipal de Coimbra.

«É preciso dizer que esta questão das demolições não está a colocar em causa o desenvolvimento do projecto do metro, mas está a colocar em causa a requalificação daquele espaço», admite Álvaro Maia Seco, garantindo que a estratégia da Metro Mondego para aquela zona tem um duplo objectivo: «libertar, o mais depressa possível, o canal para a linha do hospital e requalificar aquele espaço».

«Temos consciência que as demolições são uma ferida muito significativa naquela zona e, por isso, temos a obrigação de as fazer o mais depressa possível», admite o responsável, manifestando a esperança de, no final do primeiro trimestre de 2010, depois de aprovados todos os projectos, já ser possível à Metro Mondego «dar uma calendarização mais precisa sobre a duração dos trabalhos naquela zona».

FONTE: Diário de Coimbra

Anúncios
Esta entrada foi publicada em 1. Imprensa, Blogosfera e Web, 12. Reabilitação Urbana com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s